quarta-feira, 7 de maio de 2014

Nada Igual

 

  Lá estava ele sentado no sofá, nem percebeu minha chegada. Sentei ao seu lado, peguei sua mão, mas ele continuava a fitar a televisão. A que ponto chegamos?
- Meu amor? - Perguntei arrumando seu cabelo.
- Oi. - Ele respondeu.
- Aconteceu algo?
- Nada, só estou assistindo TV.
  Me lembro bem de quando a televisão era só um passatempo para nós dois ficarmos agarradinhos embaixo das cobertas, que os abraços e beijos eram vívidos, que havia uma preocupação, uma importância...
- Que tal irmos para o quarto? Tenho uma surpresa para você. - Digo tentando fazer com que a atenção dele se voltasse um pouco para mim.
- Vou daqui a pouco. - Diz ele, sem muito importância.
  Me levanto e caminho até o quarto, enquanto ele continua no sofá. Sento em nossa cama e olho o porta retrato com nossa foto juntos, nossa foto de casamento. Parecia que ainda éramos nós mesmos, mas não estávamos mais nos encaixando, como peças desgastadas de um quebra cabeça. Nada era igual a antes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário